Ações Coletivas em Defesa das Práticas de Leitura: Bibliotecas Comunitárias e Outras Formas de Socialização do Acesso ao Texto Escrito

Este projeto faz parte do grupo:

acoes coletinvas em defesa13

Projeto aprovado no Edital de Iniciação Científica e Tecnológica 2010/2011. Esta pesquisa investigou sete bibliotecas comunitárias identificando os seguintes aspectos: o surgimento, as finalidades, a gestão, as parcerias, seus principais obstáculos e perspectivas de manutenção.

1. Título do projeto

Ações Coletivas em Defesa das Práticas de Leitura: Bibliotecas Comunitárias e Outras Formas de Socialização do Acesso ao Texto Escrito.

2. Início e conclusão

O projeto iniciou-se em agosto de 2010 e foi concluído em julho de 2011.

3. Equipe

– Professoras: Áurea Regina Guimarães Thomazi e Gilmara Machado.
– Aluna bolsista: Gleice Matias.

4. Resumo

Esta pesquisa teve como objeto bibliotecas comunitárias voltadas para a democratização do aceso à leitura. Tendo em vista a falta de uma política pública que contemple satisfatoriamente essa necessidade, principalmente das populações menos favorecidas, constatou-se a existência de ações coletivas que visam ocupar esse espaço da omissão pública. Buscou-se conhecer quais são os principais obstáculos internos e externos vivenciados pelos sujeitos envolvidos nessas ações coletivas para sua manutenção e continuidade de forma satisfatória. Por outro lado, procurou-se também conhecer as possibilidades e perspectivas vislumbradas como desdobramento das lutas e das conquistas desses mesmos sujeitos. Para se alcançarem esses objetivos, apoiou-se no referencial teórico da sociologia da leitura e da ciência da informação ao lado de uma pesquisa de campo de caráter qualitativo, utilizando-se da entrevista como instrumento para levantamento dos dados em seis bibliotecas comunitárias no município de Belo Horizonte e uma no município de Sabará. Constatou-se que, como de certa forma era esperado, essas bibliotecas possuem muitas dificuldades, principalmente financeiras, dependendo enormemente do trabalho voluntário e de doações. Por outro lado, entretanto, percebeu-se que elas conseguem se manter e prestam um serviço importante às comunidades em que estão inseridas e principalmente verificou-se que elas possuem uma relação mais despojada e menos formal com seus usuários, pois parecem priorizar o estímulo e o contato com os livros e a leitura em detrimento da guarda e o controle dos livros. Espera-se que, além dos ganhos teórico-acadêmicos, essa análise possa contribuir com as ações coletivas a partir de maior conhecimento de suas realidades.

5. Coordenador (a) do projeto

Áurea Regina Guimarães Thomazi.

6. Links

>>http://sabicbh.blogspot.com/2011/03/bibliotecas-beneficiadas.html
>>http://rededebibliotecascomunitarias.wordpress.com/
>>http://bibliotecasolanotrindade.blogspot.com/
>>http://borrachalioteca.blogspot.com/

Borrachalioteca – Globo Repórter – Parte 1
Borrachalioteca – Globo Repórter – Parte 2
Borrachalioteca – Globo Repórter – Parte 3
Borrachalioteca – Globo Repórter – Parte 4
Borrachalioteca – Globo Repórter – Parte 5

Galeria de imagens

Campus:

,

Palavras-chave:

práticas de leitura, bibliotecas comunitária