O Discurso da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem: Uma Análise das Relações de Gênero e Poder

Este projeto faz parte do grupo:

una_pesquisa_vermelho

Ancorado na noção foucaultiana de discurso e na perspectiva da pesquisa qualitativa, este trabalho tem como objetivo compreender os discursos que sustentam a recém-instituída Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem – PNAISH.

1. Título do projeto

O discurso da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem: uma análise das relações de gênero e poder.

2. Início e conclusão

Fevereiro de 2011 a julho de 2012.

3. Equipe

– Professor: Prof. Ms. Bernardo Salles Malamut.
– Aluno voluntário: Alberto Mesaque Martins.

4. Resumo

Por muito tempo as questões voltadas para a relação entre o processo saúde/doença e masculinidade estiveram à margem dos estudos, pesquisas e debates sociais (GOMES, 2008), e diversos estudos vêm sendo desenvolvidos no intuito de incluir a temática da saúde masculina na pauta das políticas públicas (ARILHA, 2010). No âmbito da saúde coletiva brasileira, a incipiência de ações voltadas para o público masculino e o despreparo dos profissionais de saúde vêm sendo apontados como possíveis barreiras para a mobilização e criação de vínculo entre os homens e os serviços de saúde (FIGUEIREDO, 2005). Visando estreitar o distanciamento entre os serviços de saúde e a população masculina no Brasil, foi instituída a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem – PNAISH, no ano de 2009. Orientando-se pela noção de discurso (Foucault, 2008-2009), este trabalho tem como objetivo compreender os discursos que sustentam a recém-instituída Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem. Na perspectiva da pesquisa qualitativa em Saúde (Minayo, 2007) e da Pesquisa Documental (Cellard, 2008), estão sendo analisados documentos oficiais que sustentam a construção e implementação da PNAISH no Brasil. Esses documentos foram levantados a partir de consulta à área Temática de Saúde do Homem, no site oficial do Ministério da Saúde (Brasil, 2011). Resultados preliminares apontam para a ênfase da PNAISH no adoecimento masculino, sobretudo nas doenças do aparelho sexual e reprodutivo, distanciando-se de um conceito ampliado de saúde e da perspectiva da integralidade. A compreensão do gênero masculino aparece fortemente articulada ao discurso médico-biológico reduzindo-se a uma representação que considere os contextos sócio-históricos. Percebe-se uma grande influência do discurso capitalista no documento oficial, no qual a concepção de “homem saudável” associa-se à capacidade de produção e consumo material. Identificou-se ainda a existência de um discurso moldando a redução da noção de saúde à normalização das atividades sexuais e laborais do homem, refletindo o interesse na medicalização da saúde masculina e disciplina sobre seus corpos. A compreensão do discurso que subsidia a PNAISH poderá revelar as lógicas de poder subjacentes ao funcionamento das políticas públicas de saúde. A perspectiva foucaultiana pode possibilitar uma melhor compreensão do processo de construção e implantação da PNAISH, de modo a fazer avançar e ressignificar a sua implementação e desenvolvimento, em conformidade com os princípios do SUS.

5. Coordenador do projeto

Prof. Ms. Bernardo Salles Malamut

6. Links

>> http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2008/PT-09-CONS.pdf

Campus:

Palavras-chave:

Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem. Gênero. Poder.